Pessoas que gostam de fazer bolos aproveitam qualquer desculpa para poder aquecer os seus fornos e sentir aquele cheirinho bom. Fazem bolos para comemorar aniversários dedicam algum do seu tempo a cozinhar para um dia de festa, porque simplesmente sabem que toda a gente adora chocolate.

Mas fazer bolos ou biscoitos é muito mais do que apenas fazer algo doce para alguém comer. Especialmente quando é feito para outras pessoas comerem, é uma acto que traz uma grande quantidade de benefícios segundo os psicólogos.

Fazer bolos é uma forma de comunicação entre as pessoas.

“Fazer bolos é uma excelente forma de alguém colocar em prática a sua criatividade. Há muita literatura científica que confirma a ligação entre expressão criativa e bem-estar geral. Quer seja pintura, fazer música ou preparar um bolo, as pessoas reduzem o seu stresse quando têm alguma forma de por em prática a sua criatividade”, diz Donna Pincus, professora de ciências psicológicas e cerebrais da Boston.

O stresse normalmente está associado a uma série de problemas físicos e mentais, e é bastante importante que consigamos arranjar uma maneira de lidar com esse stress para podermos ter uma vida mais saudável.

Quando fazemos um bolo para outras pessoas podemos conseguir transmitir os nossos sentimentos a essas pessoas. Susan Whitbourne ressalva que há uma tradição em que levamos comida a alguém que lhe faleceu um ente querido. Por vezes não há palavras para transmitir aquilo se quer dizer, por isso muitas pessoas demonstram, agradecimento, simpatia ou condolências através de uma travessa de bolinhos.

“Em muitas sociedades e países, a comida representa uma expressão de amor. Isso é lindo, porque é algo que todos podemos entender. Talvez isso seja pouco saudável, a comida ficar no lugar da comunicação no sentido tradicional, mas, se ela é oferecida com comunicação é uma coisa muito positiva e maravilhosa”, diz Julie Ohana, assistente social médica e terapeuta que trabalha com artes culinárias.

Assar bolos ou pães para ti ou para outras pessoas é uma forma de mindfulness.

Já todos ouvimos falar que a meditação e o mindfulness trazem imensos benefícios, como aumentar a felicidade e reduzir o stress. Fazer bolos pode também trazer esses mesmo benefícios. Donna explica “Para fazer bolos é preciso prestar atenção ao que se faz. É preciso medir as quantidades e mexer a massa. Quando prestas atenção ao que estás a fazer e nos aromas é um ato de mindfulness, de atenção consciente no momento presente, que ajuda a reduzir o teu stresse”.

Acontece que a arte culinária está cada vez mais a ganhar destaque como uma terapia, a par com a terapia artística. Ambas são consideradas terapias conhecidas como activação comportamental. Julie afirma que cada vez mais está a ser procurada por pessoas que querem adoptar este tipo de práticas terapêuticas.

Julie diz: “Fazer bolos, pães ou biscoitos requer pensar passo a passo e seguir as etapas específicas, mas também exige que se pense nas receitas como um todo, no que vais fazer com elas, quem vai comer e no momento em que vais oferecer a alguém. Por isso, fazer  bolos é uma maneira muito boa de desenvolver aquela consciência equilibrada do momento e do contexto mais amplo”.

O mindfulness é uma boa maneira de te conseguires dominar a ti próprio, mas também pode ajudar imenso a eliminar pensamentos negativos. John Whaite, vencedor de um programa de culinária de TV “The Great British Bake Off” afirma que cozinhar o ajudou a controlar a sua depressão.

“Estas a fazer algo produtivo, não estás a remoer pensamentos na cabeça, algo que leva à depressão e aos pensamentos tristes. E o melhor disto tudo é que fazer bolos é um processo que no final (se tudo correr bem), tens um resultado positivo, algo que, no final as pessoas que vão comer vão adorar”.

Fazer bolos ou pães para outras pessoas é uma forma de altruísmo.

Mas o que está aqui em causa quando se preparam bolos para outras pessoas é o simples facto de doar. Tudo bem que fazer um bolo já transmite bem estar, mas no final quando se doar o bolo ou biscoito, a sensação de bem estar vai ser intensificada.

Donna afirma: “Fazer bolos para outras pessoas eleva a sensação de bem-estar, contribui para a redução do stresse e faz-te sentir que fizeste algo de bom para o mundo, o que pode intensificar a tua ligação com outras pessoas e fazê-lo sentir que a vida tem mais sentido”.

Fazer bolos com a intenção de oferece-los a outras pessoas é sem dúvida uma atitude bastantes altruísta, significa que estás a fazer um sacrifício por outra pessoas, uma acto de generosidade. E sobre isto já houveram imensos estudos.

“Fazer bolos para outras pessoas também possui um valor simbólico, porque o prato carrega um significado tanto físico quanto emocional. Os maiores benefícios vem quando fazes bolos não para chamar a atenção ou competir com outros, mas quando simplesmente queres partilhar os bolos com outras pessoas que imaginas que vão apreciá-los. Desde que sejas bom em fazer os bolos ou biscoitos”, afirma Whitbourne

Julie termina:“Acho que oferecer comida a outra pessoa é reconfortante tanto para a pessoa que recebe a comida quanto para aquela que a serve e oferece.”

Estamos plenamente de acordo.

Photo by rawpixel on Unsplash

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS