As galinhas vêm em socorro das fruteiras, substituindo os agrotóxicos que afetam as lavouras.

Christophe Bitault é um arborista francês que se voltou para a agricultura orgânica há uma dúzia de anos, o que o levou a rever as suas práticas profissionais.

Ele decidiu instalar galinhas pretas em seu pomar para preservar suas árvores frutíferas.

Após testes bem sucedidos, ele descobriu que as galinhas negras locais de Janzé devoraram as pragas. “Fizemos um primeiro teste colocando 80 galinhas em 3 hectares, deixando as outras parcelas sem nenhum tratamento”, diz o produtor.

No primeiro ano, ele descobriu que 80% dos insetos, pequenos insetos que atacam as árvores frutíferas haviam desaparecido das terras onde as galinhas estavam instaladas. Uma bênção porque esses insetos destroem até 90% da produção.

Ao realizar uma investigação para se livrar dos insetos predadores das macieiras, ele percebeu que a presença de frangos estava diminuindo as populações da grama.

Ele também descobriu que as galinhas negras de Janzé, em perigo de extinção, “são mais poderosas nas asas e podem se acomodar rapidamente nas árvores para escapar da raposa”, diz o conselheiro.

O agricultor decidiu então comprar algumas galinhas para fazer um bebê porque a espécie é cada vez mais rara. Ele rapidamente percebe a eficácia desta solução e decide embarcar em uma criação maior.

Hoje, ele cria 200 galinhas pretas que Janzé instala em suas parcelas. Eles são tão eficazes que o produtor nem precisa alimentá-los.

O produtor também está satisfeito com a qualidade dos ovos de suas galinhas criadas ao ar livre.

“Eles são excelentes e os chefs os amam!”, Diz Christophe Bitauld. As galinhas vivem ao lado de 120 ovelhas nos 30 hectares da fazenda. “As ovelhas e galinhas vivem em paz nos jardins”, diz o produtor.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS