Não há nada mais puro que um ser humano enquanto é criança. São livres de pensamentos maus, e mesmo quando agem de maneira errada, estão apenas a repetir aquilo que virão alguém fazer. A capacidade de sonhar é tão grande, que qualquer coisa pode parecer possível aos olhos de uma criança. Além disso, quando menos esperamos surpreendem os adultos e na grande maioria das vezes pela positiva.

Maria Luiza Sena é uma criança de apenas 4 anos, e perdeu o seu animal de estimação, um cachorrinho chamado Belo. Então a pequena decidiu começar a colar cartazes para poder encontrar Belo.

Maria Isabel Sena é a sua avó, ela afirma que o pequeno Belo fugiu no período da manhã, quando o seu marido saiu para ir trabalhar.

A pequena Maria Luiza pediu ajuda à sua avó para espalhar os cartazes pela cidade. Mas os cartazes não eram tão comuns como o habitual (normalmente uma fotografia recente do animal imprimida juntamente com os contactos).

Ela genuinamente decidiu fazer um retrato à mão do seu animal de estimação.

A avó afirma que “Ela ficou triste e com dó ao mesmo tempo. Então, fez desenhos do Belo quase a tarde inteira. Fez vários cartazes. Depois colocou tudo dentro de um saco, pôs a mochilinha nas costas e chamou o avô para pregá-los pelo bairro”.

Sem querer magoar a menina, a avó disse-lhe que deviam colocar uma foto real para que pudessem encontrar o animal mais facilmente, mas Maria Luiza insistia que aquele desenho é que devia ser usado, pois tinha pormenores que na foto não apareciam, segundo a sua neta.

A família nunca imaginou que recebessem tão rápido noticias de Belo, mas logo começaram a ser contactados, inclusive receberam um telefonema onde a pessoa do outro lado afirmava ter encontrado o Belo.

O cachorro tinha foi encontrado por uma senhora que viu os cartazes da pequena Maria Luiza e entrou logo em contacto com a família de Belo.

A senhora foi ao encontro da menina e da avó e e conta que “Primeiro ela ficou estática, em seguida sorriu muito com ar de muita felicidade em tê-lo de volta. O Belo, por sua vez, demonstrou muita alegria com movimentos circulares em volta da Maria Luiza e muitos latidos”.

Mais tarde esta história ficou viral pela a internet quando foi publicada na pagina da Associação Roraimense de Cuidados Animais (Arca) no Facebook, e toda a gente comentou a publicação com uma emoção sem fim.

De facto, como eu costumo dizer, quando juntamos crianças e animais, as coisas mais puras e sem maldade presentes neste mundo, ninguém fica indiferente. Se só existissem crianças e animais, este mundo seria um paraíso!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS