Leiliane Rafael da Silva é uma jovem de 29 anos que não pode ser apelidada de outra forma que não uma “heroína”. A moça estava numa mota quando viu o acidente que ocorreu recentemente na Via Anhanguera em São Paulo. Um helicóptero chocou contra um camião onde perderam a vida Ronaldo Quattrucci, o piloto e Ricardo Boechat um famoso jornalista brasileiro.

Enquanto a maioria dos espectadores se preocupavam em filmar as chamas do acidente, a jovem decidiu escalar para a cabine do camião partiu o vidro com o seu capacete e tentou salvar o motorista, arrancando todos os pedaços do helicóptero, puxando o homem para fora.

“Uma pessoa pulou do helicóptero. O piloto ficou dentro do helicóptero. A pessoa que caiu na pista era o que tinha pulado primeiro. Ele pulou na pista, caiu no chão, e o helicóptero caiu em cima dele”, conta Leiliane Rafael da Silva completamente em choque.

Conta também que queria tentar chegar perto do helicóptero, porque queria salvar o piloto, mas as autoridades não permitiram. “Mas eu queria salvar ele. Porque o piloto não pulou, ficou dentro do helicóptero. A minha intenção ali na hora era tirar ele de lá. Eu tinha que ter tirado ele de lá. Tinha que ter puxado para o meio da pista. O outro moço já tinha morrido”, diz ela em entrevista à G1.

Ela tinha tanta vontade de salvar vidas, que arriscou a sua própria vida. Mas ainda assim ela acha que podia ter feito mais alguma coisa pelas vitimas e diz: “Eu acho que poderia ter feito mais alguma coisa e não me deixaram. Eu devia ter corrido lá e puxado ele. Só que agora que eu estou aqui e que eu já sei que não tinha mais como tirar ele de lá, porque explodiu novamente. Eu vejo que eu podia ter morrido junto com ele”.

Contou também que tentou salvar o jornalista Boechat, mas infelizmente não teve sucesso. No entanto o motorista do camião ficou apenas com ferimentos leves e ficará bem. Este senhor deve a sua vida a Leiliane.

As causas do acidente ainda estão a ser apuradas pela A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Resta desejar força a todos os familiares das vitimas mortais e as rápidas melhoras para aqueles que se salvaram.

Quanto à atitude de Leiliane, foi sem dúvida muito perigoso pois colocou a sua vida em risco, mas graças a sua coragem conseguiu salvar uma vida, e certamente sente-se bastante orgulhosa.

Um aplauso para a coragem desta jovem!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS