Às vezes acabamos por desmoronar porque somos fortes demais, suportamos demais, ficamos disponíveis por muito tempo, assumimos muitas responsabilidades… Quando há muitas preocupações nas nossas vidas, é normal virmos a sofrer um profundo esgotamento psicológico.

O esgotamento psicológico é geralmente um processo lento, acumula-se gota a gota, sem perceber. O problema é que acaba por “explodir”, muitas vezes devido a situações sem importância, às quais, em outras circunstâncias, nem sequer prestamos atenção. A gota que enche o copo pode ser absolutamente qualquer coisa que nos coloque cara a cara com a impossibilidade de avançar. Então nós desmoronamos, literal ou metaforicamente.

O que é esgotamento psicológico e quais são as suas causas?

O esgotamento psicológico é um estado de extremo cansaço mental e emocional, frequentemente acompanhado por um sentimento de falta de força física. Este estado de desgaste extremo é causado por um excesso de recursos emocionais e/ou cognitivos. Por outras palavras: não conseguimos dar mais de nós. É como uma espécie de inércia física e mental, uma sensação de “peso” que envolve o dia-a-dia.

As causas da exaustão psicológica são varias, embora em muitos casos seja frequente: dar demais e receber muito pouco. O esgotamento psicológico aparece como resultado de uma entrega constante e até excessiva, seja no trabalho, num projeto que nos entusiasma, mas também nos consome, nos problemas quotidianos, nas tarefas do dia-a-dia e por aí fora.

Ao mesmo tempo, não recebemos praticamente nada em troca que possa equilibrar o saldo. Não podemos descansar e relaxar o suficiente, não passamos tempo de qualidade a sós connosco mesmos e não recebemos atenção, carinho e compreensão suficientes de pessoas próximas de nós. Na prática, é como se apenas extraíssemos energia do nosso ATM emocional, mas não nos preocupássemos em obter algo em troca.

Noutros casos, a fadiga mental é causada por muitas mudanças num tempo muito curto, embora sejam positivas. No entanto, quando isso acontece tão rapidamente, não conseguimos geri-los e sentimo-nos sobrecarregados. Nesses casos, embora aparentemente tenhamos tudo o que queremos, na nossa mente temos um tipo de sensor que indica que algo está falhar.

Fadiga mental: sintomas premonitórios de exaustão

1. Perda de energia

A sensação de esgotamento psicológico geralmente reflete primeiro fisicamente, por isso é normal que se sinta sem energia, mal se levante pela manhã, para que ao abrir os olhos pense que não consegue encarar o dia.

2. Irritabilidade

Um dos sintomas mais óbvios de esgotamento psicológico é nervosismo, irritabilidade e hipersensibilidade, porque perde o auto-controlo. Ao mesmo tempo, começa a interpretar os estímulos como se fossem ameaças, o que o leva a reagir colocando-se na defensiva.

3. Insónia

Muitas vezes, por trás do esgotamento psicológico, encontram-se problemas não resolvidos que circulam na sua mente, de modo que não permitem que tenha uma boa noite de sono.

4. Anedonia

Perda da capacidade de desfrutar dos pequenos prazeres da vida. Você olha para as coisas que já desfrutou, mas não o estimulam mais, é como se o mundo tivesse subitamente perdido as suas cores. Em alguns casos, pode se sentir como se estivesse flutuando numa espécie de limbo distante que o afasta da realidade.

5. Perda de motivação

Quando você está extremamente exausto, simplesmente não encontra a motivação para se envolver em novos projetos ou fazer aquelas coisas pelas quais era apaixonado antes. Qualquer tarefa parece que exige muito esforço da sua parte você desenvolve uma apatia profunda pelo mundo. Também sentimentos de desencantamento, desapontamento e desespero geralmente aparecem.

6. Falhas de memória

A atenção é um dos primeiros processos psicológicos que são afetados quando você está exausto, o que também leva a frequentes lapsos. É provável que se esqueça das mensagens, não se lembre de onde deixou as chaves e ache difícil lembrar-se do que comeu no dia anterior. Isso ocorre porque a sua mente está muito saturada para continuar a processar e armazenar informações no consciente.

7. Pensamento lento

O esgotamento psicológico também afeta os processos cognitivos, então vai perceber que pensa mais devagar ou que tem dificuldade em pensar. O que costumava fazer rapidamente, custa muito mais e às vezes até acha difícil dar um sentido lógico às ideias na sua mente ou acompanhar um longo discurso.

Quem são mais vulneráveis ​​ao esgotamento psicológico?

Todos podemos nos exaurir psicologicamente, especialmente quando passamos por situações particularmente stressantes na vida, mas há algumas características de personalidade que podem nos deixar mais vulneráveis ​​a esse esgotamento mental.

  • Perfeccionismo

Os perfeccionistas, que exigem muito de si mesmos, acabam por acrescentar um peso extra nos seus ombros que, a longo prazo, representa mais stresse.

  • Dificuldade a liderar

As pessoas que querem assumir todas as tarefas, porque acreditam que os outros não saberão como fazê-las ou não estarão à altura, são mais propensas a sofrerem esgotamento psicológico devido a um excesso de responsabilidades.

  • Sensibilidade extrema

As pessoas que são muito empáticas e hipersensíveis têm maior probabilidade de sofrer um estado de exaustão emocional, porque muitas vezes assumem os problemas dos outros como seus e não conseguem estabelecer uma distância psicológica de proteção.

  • Incapacidade de relaxar

Algumas pessoas, devido às características de seu sistema nervoso, acham mais difícil relaxar e desconectar-se do que outras. É como se o seu cérebro trabalhasse a mil revoluções por minuto constantemente. No entanto, a longo prazo, isso acaba por cobrar seu preço.

Remédios para fadiga mental: as 5 regras a seguir

Todos devem encontrar seu próprio remédio para a fadiga mental, o que significa que deve detectar o que consome a sua energia e enfrentar esse problema, talvez de uma perspectiva diferente. Lembre-se que às vezes uma mudança de perspectiva é suficiente para mudar tudo, sem que nada mude.

No entanto, aqui estão 5 regras gerais que deve seguir para lidar com o esgotamento psicológico:

1. Descanse

Para ser eficaz e produtivo, precisa de descansar. Na vida, é essencial encontrar um equilíbrio entre trabalho e obrigações e tempo livre e descanso. Certifique-se de encontrar o tempo para relaxar, para que se torne um hábito diário e possa evitar o esgotamento psicológico.

2. Priorizar

O dia tem 24 horas, portanto, você deve aprender a priorizar levando em conta não apenas as coisas que parecem ser urgentes, mas também aquelas pelas quais é mais apaixonado e que lhe dão satisfação. Preencher o seu dia com tarefas que geram stresse e stresse também causa uma profunda fadiga mental, então deve certificar-se de encontrar um equilíbrio.

3. Exija menos

Seja um pouco mais realista, você não é um super-homem ou uma super-mulher. Às vezes, nada acontece se cometer erros, se as coisas não forem perfeitas ou se adiá-las.

4. Seja compassivo consigo mesmo

Trata-se de se relacionar consigo mesmo, assumindo uma atitude mais positiva e compassiva. Consiste em ter um discurso discurso consigo próprio, dando-lhe confiança e tranquilidade, em vez de recriminar e criticar duramente. Um discurso que acrescente mais stresse e desconforto torna-se o combustível que alimenta o esgotamento psicológico.

5. Reencontrar

O esgotamento psicológico geralmente cria em torno de nós uma camada composta de preocupações, pressões, deveres e angústias que, a longo prazo, nos fazem-nos esquecer de nós mesmos. Portanto, é importante que encontre um espaço para ficar sozinho consigo, alguns momentos do dia em que simplesmente respire com facilidade e conecta-se com as suas necessidades, sonhos e desejos.

Traduzido por Inspiring Life by Cat do site: Rincon Psicologia

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS