A couve tem sido elogiada como um superalimento cheio de nutrientes – e acontece que mastigar couve todos os dias pode ser a chave para evitar que seu cérebro envelheça.

Por norma as pessoas que não gostam do sabor picante da couve e o mesmo acontece com com outros vegetais de folhas verdes, dizem os pesquisadores.

Os pesquisadores perguntaram a voluntários com 80 anos ou maicomo era a sua dieta – e também através de análises conseguiram ver mudanças cognitivas. O estudo foi publicado na revista Neurology.

“(…) pessoas que comiam pelo menos uma porção de vegetais verdes folhosos por dia mostravam o equivalente a ser 11 anos mais jovens, cognitivamente falando.”

Eles descobriram que as pessoas que comiam pelo menos uma porção de vegetais verdes folhosos por dia mostravam o equivalente a ser 11 anos mais jovens, cognitivamente falando.

As pessoas que comem vegetais folhosos mostraram uma taxa mais lenta de declínio nos testes de memória ou pensamento do que as pessoas que nunca os comeram, segundo o estudo.

“Adicionar uma porção diária de vegetais de folhas verdes à sua dieta pode ser uma maneira simples de ajudar a promover a saúde do cérebro”.

Martha Clare Morris do Rush disse: “Adicionar uma porção diária de vegetais de folhas verdes à sua dieta pode ser uma maneira simples de ajudar a promover a saúde do cérebro”.

Morris e seus colegas identificaram um pequeno grupo de nutrientes específicos que parecem oferecer benefícios anti-envelhecimento. A couve é geralmente rica em vitamina E, ácido fólico, vitamina K1, luteína e beta-caroteno. Embora inconsistente, a pesquisa sugeriu que alguns ou todos esses nutrientes podem ter algum papel na proteção do cérebro contra a inflamação, o acúmulo de proteínas tóxicas, como a beta-amilóide, e danos neuronais e morte.

O Dr. Lon Schneider, especialista em demência na Escola de Medicina Keck da USC, diz que o novo estudo oferece informações importantes sobre quais nutrientes da dieta mediterrânea ajudam a sustentar a saúde no envelhecimento. Mas também ressalta a complexidade da demência e do envelhecimento cognitivo – e a ausência de uma “bala de prata” para combatê-los.

“A demência é uma doença complexa, como tantas doenças crônicas são”, disse Schneider. “Não é claramente causado por uma coisa, e certamente seu início e severidade não são causados ​​por uma coisa. Isso mostra que o ambiente é realmente importante. A dieta é importante.”

Estratégias eficazes para prevenir a demência são criticamente necessárias.”

Morris conclui: “Continua havendo aumentos acentuados na porcentagem de pessoas com demência, já que os grupos etários mais velhos continuam crescendo em número. Estratégias eficazes para prevenir a demência são criticamente necessárias.”

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS