Síndrome do Pânico: o medo à flor da pele

Poucas coisas podem ou conseguem ser mais perturbadoras na vida do que a sensação ou a iminência de perdê-la.Acometidos pela Síndrome do Pânico são...

“Mentir para si mesmo é sempre a pior mentira”

"Mentir para si mesmo é sempre a pior mentira" - Legião Urbana Por mais que doa, é preciso assumir as próprias fraquezas, a falência dos...

Não se humilhe por nada nem ninguém

Enterre a cabeça no travesseiro, grite, chore, acabe-se, numa luta sua com você mesmo e de mais ninguém. Fortaleça-se enquanto sente doer fundo as...

Experimente ser feliz!

Pessoas felizes não se deixam abalar por palavras e atitudes de quem não lhe diz respeito, tendo a capacidade de ouvir e de dar valor a quem é realmente importante em suas vidas, pois sabem muito bem escolher a quem guiar e por quem serem guiadas.

É bom se decepcionar

E é assim com aquele "bom" amigo ou aquela "boa" amiga, que de repente nos mostra que a amizade não era tão forte assim, ou pior ainda: que falta profundamente com o respeito, que nos machuca, que nos faz sofrer, que nos decepciona… Como estávamos iludidos e aparentemente felizes e satisfeitos com essa ilusão, acreditamos que o comportamento questionável dessa pessoa veio de repente e que a amizade acabou de uma hora para outra, mas isso não é correto, já que ninguém muda seu comportamento ou sua postura da noite para o dia e uma amizade que termina de uma hora para outra na verdade nunca existiu.

Educar não é formatar

"E devemos ter sempre em mente que nossos filhos são seres livres, que precisam aprender a andar com as próprias pernas para que possam seguir o caminho que acharem melhor."

Liberte-se das culpas desnecessárias

Aquilo que deixamos de fazer, as palavras não ditas ou desditas, o não engolido, o sim forçado, a entrega duvidosa, o abraço recusado, o olhar desviado, o veneno experimentado, o mal destilado: teremos sempre muito do que nos arrepender, pelo resto de nossas vidas, afinal, por mais conquistas que obtivermos, por mais que estejamos felizes - ou não -, nossa vida poderia ter sido diferente; se melhor ou pior, não dá para saber.

O que você está esperando?

E assim, seguimos na vida com coisas mal resolvidas, adiando ou ignorando completamente certos problemas, uns pequenos, outros médios, alguns enormes, fazendo de conta que eles não existem ou querendo acreditar que não há solução, por medo das consequências, por insegurança, por pressão externa, por condicionamento ou por conveniência, na verdade porque somos assim: perfeitamente imperfeitos.

“Borbolete-se”! O mundo anda necessitado de lindas metamorfoses!

"Atenção negada, abraços adiados, beijos censurados, silêncios opressores... cada um de nós sabe exatamente as feridas emocionais que carrega; ou pensa saber."

NOVIDADES