Muitos de nós que temos animais de estimação, cuidamos dos nossos cães como se fossem nossos filhos, mesmo que não tenhamos a mínima ideia do que significa ter um filho de verdade.

Mas é mesmo assim que eles se comportam, eles comportam-se como se nós fossemos os seus pais, mesmo que até já tenha uma certa idade.

A veterinária e líder do estudo, Lisa Horn, decidiu separar os cães em três grupos diferentes: um em que os cães ficavam com os seus donos, outro com os cães sozinhos e outro com pessoas que eles não conheciam.

E como é de esperar o resultado foi evidente, aqueles que ficaram com os seus donos demonstraram-se muito mais animados e contentes, os que ficaram sozinhos nem a comida lhe servia de conforto, e aqueles que ficaram com pessoas desconhecidas, embora conseguissem comer, não quiseram saber dos brinquedos.

Segundo Lisa, o comportamento dos cães é muito idêntico ao de uma criança quando está longe dos pais.

Os animais que ficaram com os seus donos sentem-se muito mais confiantes, confortáveis e seguros, pois sem eles a vida já não tem graça e não tem sequer vontade de brincar. “Esta é a primeira evidência da similaridade entre o ‘efeito de base segura’ encontrado na relação dono-cachorro e na criança-pai”, diz Lisa.

Para quem tem um cachorro, isto talvez não seja uma novidade assim tão grande não é? Mas para quem não tem e está a pensar ter, não pensem que há menos responsabilidade do que ter um filho, os animais “apegam-se” aos seus donos e criam laços muito grandes, talvez maiores do que as pessoas possam imaginar.

Portanto se querem adoptar um cão, lembrem-se que deverá ser uma compromisso que assumem para toda a vida do bichinho, pois se algum dia tiveres de te ausentar da vida dele, acredita que ele vai sofrer imenso com isso!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS