Já todos sabemos com funciona o Carnaval, muita gente junta completamente eufórica gera também alguma confusão. Às vezes, mais pequenos acabam por se perder dos seus pais no meio da multidão por razões óbvias.

E foi o que aconteceu durante o desfile de Carnaval com o pequeno Rafael, ele perdeu-se da sua mãe, uma vendedora ambulante chamada Ágata Januário.

Mas o bloco Boi Tolo, assim que se apercebeu da situação, decidiu parar a música, algo que nunca acontece, e chamar pelo nome da mãe do menino.

Rapidamente todo o publico se baixou para poderem também ajudar a encontrar a Ágata.

A jornalista do O Globo afirma: “Uma catarse coletiva atingiu o bloco quando a vendedora adentrou o cordão acompanhada pelo marido e encontrou o filho. O momento, provavelmente, foi mais um daqueles que entram para história do carnaval de rua do Rio”.

View this post on Instagram

O Boi Tolo viveu um momento mágico na manhã deste domingo de Carnaval. O 'bloco que nunca para' interrompeu a folia para ajudar uma criança perdida a encontrar sua mãe. Por cerca de 20 minutos, os músicos pararam a música, se sentaram no chão e gritaram o nome de Ágata até que a ambulante aparecesse. Quando aconteceu o encontro, uma catarse coletiva tomou conta do bloco. "Em um segundo ele sumiu. Senti desespero e agora felicidade. Eu fiquei impressionada com a humildade e a simplicidade desse bloco", conta a trabalhadora, que ganha R$ 70 por um dia inteiro de trabalho vendendo bebidas. O momento, provavelmente, foi mais um daqueles que entram para história do carnaval de rua do Rio. (Foto: Márcia Folleto/Agência O Globo) #BoiTolo #Carnaval2019 #CarnavaldeRua #Carnario #Carnaval #Rio #rj #riodejaneiro #JornalOGlobo

A post shared by Jornal O Globo (@jornaloglobo) on

A mãe do menino sentiu um tremendo alivio quando o encontrou, como qualquer outra mãe, ficou super grata pela atitude do bloco Boi Tolo e não se poupou em agradecimentos. Ela ganha cerca de 70 reais por dia para vender bebidas aos foliões durante o desfile de Carnaval e o menino andava com uma pulseira de identificação que entretanto acabou por rebentar.

A mãe do menino afirma que: “Em um segundo ele sumiu. Senti desespero e agora felicidade. Eu fiquei impressionada com a humildade e a simplicidade desse bloco. Eles pararam de tocar para me encontrar”.

Felizmente esta história terminou bem, muito por causa da atitude das pessoas que pertencem ao bloco Boi Tolo, caso contrário teria sido muito mais esta família poder reunir-se de novo.

Bem haja ao bloco Boi Loco pela sua atitude bastante altruísta e que se replique sempre que seja necessário. Partilha esta noticia para inspirar a nossa sociendade a ter atitudes lindas como estas.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS