Outro país junta-se às nações que impõem proibições de sacos de plástico – a Alemanha. Segundo a ministra do Meio Ambiente do país, Svenja Schulze, o país aplicará uma proibição de sacos de plástico, porque acordos voluntários com lojistas para reduzir o uso foram suficientes, mas ainda não tiveram bons resultados.

Em 2016, foi alcançado um acordo com empresas alemãs para impor uma taxa por sacos de plástico. Desde então, houve um declínio de 64% no uso de sacos de plástico, em relação aos números de 2015, de acordo com o Ministério Federal do Meio Ambiente da Alemanha.

Para garantir que o número continue a diminuir, Schulze disse ao Bild am Sonntag, um jornal nacional de domingo publicado em Berlim: “O ministério proibirá o uso de sacos de plástico”. Ela não deu um cronograma para o plano, mas acrescentou que seu objetivo era “sair da sociedade do descarte e, no geral, usar menos plástico”.

Este movimento é apenas um pedaço de uma imagem muito maior. Faz parte de uma estratégia mais ampla do Parlamento Europeu para combater o uso de plásticos, num esforço para melhorar a poluição. Por exemplo, no Reino Unido, também foi introduzida uma taxa em sacos de plástico descartáveis ​​em 2015. Por causa disso, o seu uso nos principais supermercados caiu mais de 90%, de acordo com dados recentes.

Além disso, canudos de plástico, agitadores e cotonetes serão proibidos na Inglaterra a partir de Abril do próximo ano. Essa proibição foi confirmada oficialmente pelo secretário de meio ambiente do país, Michael Gove, depois que uma consulta aberta revelou apoio público “esmagador” à mudança.

Gove diz:

“São necessárias ações urgentes e decisivas para combater a poluição por plásticos e proteger nosso meio ambiente. Esses itens costumam ser usados ​​por apenas alguns minutos, mas levam centenas de anos para decompor, e acabam no mar e prejudicam a preciosa vida marinha. Hoje, estou a tomar medidas para reverter a poluição por plásticos e garantir que deixemos o nosso ambiente em melhor estado para as gerações futuras.”

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS