Visitar os avós nem sempre é nosso plano favorito. Nós preferimos estar no nosso mundo, assistir a uma boa série na televisão, sair com os nossos amigos, quando vamos comer eles não são os primeiros da nossa lista, e eu não estou a julgar ninguém, é simplesmente uma realidade da grande maioria.

Algo que ouvimos falar que deixar alguém completamente sozinho não é bom, mas quando o lemos de cientistas e o mostramos para nós como um estudo, confirmamos isso. Álvaro Pascual-Leone, formado pela prestigiosa Universidade de Harvard, realizou um estudo em conjunto com os pesquisadores Álvaro Fernández e David Bartrés-Faz, que explica bem esse problema, o que é uma realidade.

“Pensar positivo, ser otimista, tem um impacto sobre sua saúde e sua função cerebral”, diz Neurologista Álvaro Pascual-Leone e professor no seu estudo.

Assumindo a projeção do risco das doenças que desencadeiam a solidão, a experiência dessa forma tem um peso desfavorável para nossa saúde comparável ao fumar 15 cigarros por dia ou ser obeso em níveis que põem em risco o nosso bem-estar.

Embora o próprio Pascual-Leone afirme que é uma visão subjetiva, a comparação de acordo com sua análise não é absurda. É diferente estar sozinho ou não, sentir-se sozinho.

Uma pessoa solitária fica deprimida e alguém deprimido perde a luta para se manter vivo.

É importante prestar mais atenção, especialmente aos idosos, muitos são enviados para uma lar de idosos e os familiares raramente os vão visitar, pois assumem que eles estão rodeados de pessoas lá dentro outros em situações piores são abandonados porque não há capacidade financeira para colocá-los num empresa desse tipo. Mas nunca se esqueçam, que eles são os nossos ascendentes e tirem um tempo para se dedicar àqueles que precisam, pode fazer muito bem à sua deles saúde e à vossa.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS